[Resenha] A Vaca Roxa: como transformar sua empresa e ganhar o jogo fazendo o inusitado


 

A_VACA_ROXA__COMO_TRANSFORMAR_SUA_EMPRE_1225907219PImagine-se em uma estrada, viajando lentamente com o seu carro, quando, de repente, você se depara com uma paisagem repleta de vacas malhadas, iguais àquelas que você vê nos filmes.

Você começa apreciar as belas vaquinhas, tão padronizadas, realmente uma admirável paisagem. Cinco minutos depois, você não aguenta mais aquela mesmice, tudo começa a ficar repetitivo e insuportável.

Mas imagine se uma dessas vacas fosse roxa? Uma vaca ROXA! Impossível não nota-la. A essência de uma Vaca Roxa é ser notável.

Baseando-se nessa alegação, o guru do Marketing Seth Godin nos contempla com sua inesquecível obra A Vaca Roxa: como transformar sua empresa e ganhar o jogo fazendo o inusitado.

Em um panorama geral, o autor descreve que antigamente, com a escassez de opções e o excesso de tempo disponível dos consumidores, as empresas não se preocupavam em criar algo notável, bastava empurrar os seus produtos de massa em um veiculo de massa, como a televisão, que o lucro era certo. Essa era a receita que garantia o sucesso em suas vendas.

Entretanto, hoje, o cenário inverteu, as opções de compra estão excessivas e nosso tempo está cada vez mais escasso. As empresas não conseguem fazer a sua mensagem circular porque os consumidores estão saturados e se recusam a prestar atenção. Para fazer suas escolhas, em vez de analisarem anúncios na televisão, os clientes recorrem a seus fornecedores ou a seu network de amigos esclarecidos.

Resumindo a história, o consumidor pós-moderno só se preocupará em comentar sobre o seu produto se o mesmo for excepcional, novo e interessante, pois o que é notável se difunde na velocidade da luz, enquanto produtos mais do mesmo padecem no esquecimento.

Hoje, o marketing de massa já não é tão eficaz, custa muito dinheiro, está cada vez mais caro anunciar produtos medíocres. A razão de ser do marketing moderno não é a de tornar um produto atraente, interessante, bonitinho ou engraçado DEPOIS de ele ter sido concebido e construído. Agora, ANTES de qualquer coisa, ele já deve ser concebido para ser um produto notável.

Sob essa visão, Godin alega que as empresas não devem perder seus já escassos recursos em publicidade de massa, pelo contrário, devem tentar persuadir os adotantes prematuros, pois estes possuem a capacidade de influenciar e persuadir o restante do mercado.

Por sinal, os consumidores inovadores e os adotantes prematuros são o cerne dessa obra.

 

curva-de-rogers

Para o autor, as empresas notáveis não devem medir esforços para atingir o público que se encaixa nos dois primeiros quadrantes. São justamente os consumidores inovadores e os adotantes iniciais que se encarregarão de influenciar o comportamento da massa tardia.

Godin afirma que no mercado atual, não há ninguém ansioso para adotar o seu produto. A imensa maioria dos consumidores está feliz, imóvel e convencida de que o que já tem os satisfaz. Você não tem poder para força-los a mudar de ideia. Sua única chance é vender para aqueles que gostam de mudanças, que apreciam novidades e que estão em busca do que quer que você esteja lhes oferecendo.

É inútil anunciar para qualquer um, o verdadeiro ganho ocorre quando a pessoa que está escutando é um agente contaminador, propenso a falar sobre você com amigos e colegas.

Portanto, facilitar o trabalho de persuasão que esses adotantes prematuros deverão realizar junto ao resto da curva, é a nova chave do sucesso para um bom marketing.

E como fazer para facilitar o trabalho desses adotantes? Criando produtos notáveis!

Entretanto, o autor alerta que se estes adotantes não exerceram o papel de agentes contaminadores, a novidade não se propagará. Se forem egoístas no seu uso ou não tiverem credibilidade perante os outros, a ideia ficará encurralada num beco sem saída.

As pessoas pertencentes às maiorias remota e tardia ouvirão quem tenha tido experiência com o produto, mas ignorarão você.

Não tente inventar um produto para todos, porque acabará sendo um produto para ninguém”,

Se ser uma Vaca roxa é uma forma tão fácil e eficaz de se destacar na multidão, por que, então, todos não estão fazendo isso?

A vaca é rara porque as pessoas têm medo, medo das críticas que irão receber. Desde pequenos, somos forçados a sermos padronizados, na escola temos que formar filas retas e ninguém pode pintar fora dos limites ou das cores que a professora propõe, tão pouco fazer perguntas demais.

Somos moldados a fazer tudo de modo seguro, de acordo com as regras. Essa parece ser a melhor maneira de evitar o fracasso. Na escola pode até ser, mas em um mercado superlotado, enquadrar-se é fracassar. Não se destacar é o mesmo que estar invisível.

A maioria das empresas tem tanto medo de ofender alguém ou parecer ridícula que se mantém a uma prudente distância de qualquer fato que possa provocar esse efeito. Elas fazem produtos tediosos porque não desejam ser interessantes.

O verdadeiro crescimento resulta de produtos que incomodem, ofendam, não tenham apelo, sejam muito caros, muito baratos, muito pesados, muito complicados, muito simples. O notável vem dos extremos!

Ser notável não é apenas ser “muito bom”.

Ser notável não é apenas cumprir com suas obrigações.

Ser notável não é apenas fazer o que os clientes esperam que você faça.

Uma empresa notável é aquela faz algo que seduz as pessoas a parar de fazer o que elas estão fazendo, que atrai as pessoas a lerem o que ela publica e que façam com que elas falem sobre os seus produtos com seus colegas.

A busca pelo líder: você nunca será uma Vaca Roxa se decidir apenas seguir as estratégias que o líder de mercado utiliza. Copiar o líder te levará apenas a lugares que ele já foi. Quando você tem um produto próximo ao dele, ele já estará pensando em outro mais notável.

Conclusão

As empresas Vaca Roxa operam fora dos padrões estabelecidos, elas operam no EXTREMO do mercado. Estas possuem produtos ultra exclusivos, e não um pouco mais caro, ou preços de banana, e não um pouco mais barato; funcionam durante os 7 dias da semana e não um pouco mais aos sábados, ou abrem por tempo limitado e não um pouco menos na segunda.

Criar uma empresa ou um produto Vaca Roxa é criar algo sobre o que valha a pena falar.

Outro grande beneficio de ser um criador de uma Vaca Roxa é que, uma vez que você quebrou os padrões do mercado, as pessoas irão acreditar que você sempre fara isso e depositarão uma enorme confiança em você. Isso se chama credibilidade.

Ser notável não tem a ver com ser esquisito. O que interessa é que seja irresistível e facilmente acessível para um pequeno grupo de agentes contaminadores. Mas lembre-se, ser irresistível não é a mesma coisa que ser ridículo!


Newslatter

Comentários

  1. […] Seth Godin. Dentre os inúmeros itens abordados em seus livros Brinde Grátis! Aproveite e Vaca Roxa, eu não poderia deixar de destacar o que ele chama de “Roda Circular”, que por fins didáticos […]

  2. […] A Vaca Roxa como transformar a sua empresa e ganhar o jogo fazendo o inusitado Tema: Marketing Sinopse: Em um mundo saturado de informação, a propaganda não é mais capaz de […]

LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com