Administração e Princípios de Fayol


Jules-Henri-Fayol
Jules Henri Fayol foi um engenheiro de minas francês e um dos teóricos clássicos da Ciência da Administração, sendo o fundador da Teoria Clássica da Administração.
Para o autor, a Administração é uma atividade comum a todos os empreendimentos humanos (até mesmo as famílias), e que por isso exigem sempre um grau de planejamento, organização, comando, coordenação e controle. Portanto, TODOS deveriam estudá-la.

A grande obra de Fayol

Após 58 anos de estudos, pesquisa e observação, reuniu suas teorias na obra Administração Industrial Geral (Administration Industrielle et Generale), em 1916.
Porém, sua obra só foi traduzida para o inglês em 1949 e esse atraso na difusão generalizada de suas idéias fez com que grandes contribuintes do pensamento administrativo desconhecessem seus princípios.
Fayol, ao contrário de Taylor, se preocupou em estudar a alta administração, começando de cima para baixo, enquanto Taylor focou seu trabalho exclusivamente no chão de fábrica.
Em sua obra, Fayol destaca que o trabalho da alta administração deve ser distinto das operações técnicas da empresa. Aqueles que não percebem isso e acabam se envolvendo com os detalhes técnicos da produção e prestação de serviços, negligenciam as funções de administrar toda a empresa.
Segundo o autor, o trabalho do dirigente consiste, entre outras atividades, em:
  • ·      Tomar decisões.
  •         Estabelecer metas.
  •         Definir diretrizes.
  •         Atribuir responsabilidades aos integrantes da organização (Os colaboradores necessitam de ordens para saber o que fazer, e suas ações precisam de coordenação e controle gerencial).
  •         Combater o excesso de regulamentos, burocracia e papelada também, de acordo com Fayol, são responsabilidades do gerente.

Os 14 princípios básicos de Fayol

Em sua obra, o autor relacionou os 14 princípios básicos que podem ser estudados de forma complementar aos de Taylor, notem que os princípios foram escritos em 1.916, mas muitos ainda são a base do ensino da Administração até hoje:
  • Divisão do trabalho – Especialização dos funcionários desde o topo da hierarquia até os operários da fábrica, assim, favorecendo a eficiência da produção aumentando a produtividade.
  • Autoridade e Responsabilidade – Autoridade é todo direito dos superiores darem ordens que teoricamente serão obedecidas. Responsabilidade pode se resumir na obrigação de prestar contas, ambas sendo delegadas mutuamente
  • Disciplina – Necessidade de estabelecer regras de conduta e de trabalho válidas pra todos os funcionários. A ausência de disciplina gera o caos na organização. Violações da disciplina deverão ser punidas.
  • Unidade de comando – Um funcionário deve receber ordens e se reportar apenas para um chefe, evitando contra-ordens.
  • Unidade de direção – um só chefe e um só programa para um conjunto de operações que visam o mesmo objetivo.
  • Subordinação dos interesses individuais (ao interesse geral) – Os interesses gerais da organização devem prevalecer sobre os interesses individuais. (Princípio que os jogadores de futebol ainda não entenderam)
  • Remuneração – Deve ser suficiente para garantir a satisfação dos funcionários e da própria organização. (Altos bônus em dinheiro, por mais surpreendente que pareça, comprometem a performance do funcionário. Daniel Pink, em seu livro Drive, provou essa tese em seu livro publicado 90 anos depois)
  • CentralizaçãoAs atividades vitais da organização e sua autoridade devem ser centralizadas, atuando de forma similar ao cérebro, que comanda o organismo.
  • Linha de Comando (Hierarquia) – Defesa incondicional da estrutura hierárquica, respeitando à risca uma linha de autoridade. De acordo com o seu cargo, você terá diferentes autonomias e responsabilidades.
  • Ordem – Deve ser mantida em toda organização, preservando um lugar pra cada coisa e cada coisa em seu lugar.
  • Equidade – A justiça deve prevalecer em toda organização, justificando e recompensando a lealdade e a devoção de cada funcionário à empresa. Direitos iguais, não excluindo a energia e o rigor quando necessários.
  • Estabilidade dos funcionários – Uma rotatividade alta tem conseqüências negativas sobre desempenho da empresa e o moral dos funcionários. As organizações devem buscar reter seus funcionários, evitando o prejuízo/custos decorrente de novos processos de seleção, treinamento e adaptações;
  • Iniciativa – Capacidade de estabelecer um plano e cumpri-lo. Estimula seus liderados a iniciativa para solução dos problemas que se apresentem. Nas palavras de Fayol “o chefe deve saber sacrificar algumas vezes o seu amor próprio, para dar satisfações desta natureza a seus subordinados
  • Espírito de equipe – O trabalho deve ser conjunto, facilitado pela comunicação dentro da equipe. Os integrantes de um mesmo grupo precisam ter consciência de classe, para que defendam seus propósitos

Além destes, Fayol também foi o responsável por atribuir as cinco funções do administrador dentro de uma organização, chamadas PO3C Planejadas, Organizar, Comandar, Coordenar e Controlar (com o passar dos anos, as funções Comandar e Coordenar foram agrupadas em uma única atividade chamada Dirigir, a sigla então passou a ser chamada de PODC).

Apesar de a teoria ter recebido enormes críticas por exercer excessiva unidade de comando e responsabilidade, manipulando e sobrecarregando seus trabalhadores, não há dúvidas de que a idéia de Fayol permanece atual até os dias atuais.


Newslatter
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com