Afinal, o que significa a palavra VALOR para o Marketing?


valor

Quem aqui nunca se engasgou ao tentar definir o termo VALOR de um produto? Vá até o Google e digite “conceito de proposta de valor” e se espante com os resultados. Eu mesmo já vi professores perderem uma aula inteira tentando definir o que é valor de um produto ou serviço. Também já vi autores escreverem um capítulo inteiro para deliberar sobre essa expressão. E ainda, pasmem, existe até uma formula matemática para tentar responder essa questão.

Há muitos anos eu me deparei com a frase que está estampada na figura inicial desse post e desde então nunca mais a esqueci:

“Valor é quando o seu cliente paga, sem reclamar, o preço que você está cobrando por seu produto ou serviço, seja ele qual for.”

Menos é mais. Ela é tão perfeita que dá até para você mandar fazer uma placa e colocá-la na parede do seu escritório, algo impossível de ser feito com as outras definições que encontramos espalhadas nos livros de gestão.

A explicação dela é mais ou menos o seguinte:

Exemplo 1:

Se você vende um prato de macarrão a bolonhesa por R$150,00 e o seu cliente paga a conta sem fazer cara feia, parabéns, o seu produto tem valor.

Mas, se você vende um prato de bife à cavalo (arroz, feijão, bife e ovo) por R$6,00 e o seu cliente reclama que está caro, você já pode começar a coçar a cabeça, o seu produto encontra-se desvalorizado perante a visão do seu cliente.

Exemplo 2:

Se um pintor cobra R$100,00 pela hora do seu serviço e o cliente paga feliz da vida, esse serviço tem valor, e que valor!

Porém, se um advogado cobra R$40,00 por uma hora de orientação jurídica e o cliente sai de lá espalhando que o seu serviço está demasiadamente caro, bem, acho que você já entendeu…

Sinceramente, eu não culpo nenhum teórico ou filósofo por complicar ou mesmo florear demais os seus conceitos, talvez eles até façam isso de propósito, dá mais valor para a teoria (rs). O que realmente me preocupa são os profissionais que deveriam ter como missão torná-los mais simples e acessíveis para as pessoas que não são da área, só que, por algum motivo, não o fazem.

É por isso que eu prefiro pecar pelo uso da linguagem coloquial do que pelo exagero de jargões técnicos. É claro que tudo isso dependerá do público que estará me lendo ou assistindo, mas a questão é que eu sei, ou pelo menos tento me informar, sobre essa distinção.

O engraçado disso tudo é que são justamente os profissionais da área de negócios, aqueles que estudam com profundidade o conceito de segmentação, os que mais cometem esse equívoco.

Complicar pra quê?


Newslatter

Comentários

  1. […] tem como objetivo tornar a venda mais fácil, agregando valor na venda e no […]

LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com