Alta Performance e União Familiar, uma combinação que dá certo


E infelizmente chegou o fim de mais um período de férias… Pois é pessoal, acabou a moleza, é hora de voltar ao trabalho. Foram 15 dias de muito sol e muita leitura, ou melhor, de muitas biografias. Nessas duas semanas de descanso conseguir terminar de ler os seguintes livros:

Nunca Fui Santo, do goleiro palmeirense Marcos,
Levantando a Vida, do levantador da seleção brasileira de vôlei Ricardinho,
Rafa: minha história, do tenista Rafael Nadal,
Grito de Guerra da Mãe Tigre, escrito por Amy Chua, uma escritora que é filha de imigrantes chineses e que conta como é o seu desafio de educar suas filhas americanas da mesma forma com a qual ela foi educada na China (de todos, esse foi o que mais me agradou).

Eu adoro biografias, saber um pouco mais das histórias de pessoas de alto rendimento sempre me interessou muito. Quando leio uma, procuro termina-la da forma mais rápida possível, não gosto de perder muito tempo com biografias, pois, ao contrário dos livros técnicos, esses livros são escritos como um conto, ou seja, são divertidos e agradáveis de se ler.

Por não existir conceitos ou palavras complicadas, uma biografia deve ser lida em poucos dias, não mais que uma semana eu diria.

biografias

Biografias de Janeiro

Mas voltando aos livros que citei, ao termina-los, pude notar uma incrível coincidência entre todos que me fez chegar a esta seguinte conclusão:

A influência que a família desses talentos exerceu sobre eles, até estes alcançarem o tão sonhado sucesso, é algo irrevogável.

Alta Performance e União Familiar

Longe de querer traçar um padrão fácil para encontrar a resposta da alta performance demonstrada em ambos esses casos, mas a comprovação de que o apoio familiar, em diversas fases da vida dessas pessoas, mostrou-se para mim como uma das principais características para se alcançar o tão sonhado sucesso profissional.

A ajuda da família nas horas em que as coisas não dão certo, o apoio na hora de fazer escolhas difíceis, de tomar grandes decisões, a alegria de ter com quem compartilhar suas conquistas, uma base para traçar metas incertas para seu futuro, enfim, são pequenos atos, que na soma do todo, geram um resultado de glórias e conquistas.

É claro que há inúmeras outras variáveis que compõe esse ciclo, dentre elas destaco as 10 mil horas de treino, descritas por Malcon Gladwell em seu livro Fora de Série: Outliers, mas ainda sim, em minha opinião, a variável família, de certa forma, ainda é a principal base que sustenta e que carrega consigo diversas outras características citadas, como disciplina, comprometimento, esforço acima da média, etc..

É claro que também há casos em que pessoas que não possuem laços familiares tão fortes assim ainda conseguem alcançar o alto rendimento, como os Ronaldinhos Gauchos e Adrianos da vida, entretanto, não é difícil imaginar que esses poderiam render muitos mais frutos se optassem pelo caminho da disciplina familiar e não o da bagunça e/ou boemia.

Também não dá para dizer que basta ter uma relação familiar baseada na alta performance que o sucesso profissional será garantido, mas que as chances de isso acontecer aumentam significativamente, isso sim não dá para negar.

Abdicar da farra e dos amigos não é algo fácil, manter-se disciplinado e humilde quando o sucesso chega é algo ainda mais complicado, poucos são os que possuem base familiar para isso e menor ainda é o numero daqueles que conseguem chegar ao final de suas carreiras com histórias como essas para contar. Mas é como dizem, a vida é feita de escolhas, não é mesmo?


Newslatter
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com