Como está a sua imagem pessoal?


organizacaoE

Sabe aquela velha expressão que diz “a primeira impressão é a que fica”?

Bem, no mundo empresarial ela tem um nome, chama-se imagem organizacional. A imagem organizacional, de uma forma bem simples, é formada por todo o tipo de material que a empresa em questão emite para o público, independentemente do meio de comunicação a ser utilizado.

Para ficar mais claro, vou fazer a seguinte analogia:

Imagine que você está parado em frente a um quadro branco, e que em cima dele está escrito o nome de uma empresa de sua preferência. Agora, imagine que ao seu lado estão várias “peças” de um quebra-cabeça.

Conforme você vai preenchendo o quadro com essas peças, que na verdade são os “rastros” que a empresa e os consumidores estão emitindo sobre a organização, o quadro começará a ganhar forma. É exatamente essa forma que chamamos de imagem organizacional.

Do mesmo jeito que uma organização possui sua imagem organizacional, nós também possuímos a nossa imagem pessoal. Da mesma forma que as empresas desenvolvem suas imagens com peças de comunicação, nós também formamos a nossa imagem com os rastros que deixamos, seja no mundo real ou no mundo digital.

Infelizmente, nem todo mundo percebe a importância de se construir uma imagem coerente com a sua atuação profissional, dessa forma, uma infinidade de oportunidades são perdidas.

O raciocínio é muito simples. Se eu estou precisando contratar os serviços de uma nutricionista, mas não conheço nenhuma, qual delas você acha que irá ganhar a minha preferência?

Aquela que sempre divulga conteúdo relacionado ao assunto e posta fotos em palestras e eventos, ou aquela que fica compartilhando foto de gatinhos, cachorros e Chapolin’s Colorado’s?

Como está a sua imagem pessoal?

É claro que o que estou falando não é nenhum segredo, é puro bom senso. Um bom senso que não sei por qual motivo as pessoas não usam.

Recentemente, assisti uma interessante palestra que tratou sobre o Marco Civil da internet, a lei que regulamentará o uso da internet no Brasil. Na ocasião, o palestrante abordou sobre os riscos e perigos que as pessoas estão correndo ao divulgarem suas fotos e comentários de forma tão imprudente nas redes sociais.

Pessoal, o negócio está ficando sério, para quem ainda não tem conhecimento do assunto, esses rastros estão começando a servir como provas em julgamentos judiciais, principalmente os da esfera trabalhista.

Para se ter uma ideia, foi citado o caso de um funcionário que estava processando sua empresa alegando falta de pagamento de horas extras. Entretanto, o que o funcionário não esperava, era que a sua timeline do Facebook fosse analisada em pleno juri. Nela, os presentes puderam comprovar várias mensagens de quebras de recordes de jogos como o Candy Crush e Criminal Case, isso tudo em horário de trabalho, é claro.

O caso para o funcionário literalmente azedou quando o empregador declarou que havia uma cláusula no contrato de trabalho que dizia que o uso excessivo do celular durante o horário de serviço poderia ser motivo de demissão por justa causa, o que nesse caso, ficou claramente comprovado.

Quando falo sobre imagem pessoal, costumo ser bem enfático: é inadmissível que um profissional, principalmente os jovens formandos que estão passando por uma corrida de entrevistas, se apresente ao público com fotos ou frases comprometedoras, QUALQUER reportagem sobre o assunto vai confirmar o que estou dizendo.

A galera precisa entender que o seu perfil é a sua marca, e tudo o que você postar lá estará formando a sua imagem pessoal, dessa forma, é inaceitável que você a trate com descaso. Perde-se credibilidade, perdem-se contatos.

Não, eu não estou pedindo para que você desempenhe o papel de santo. O mínimo que eu peço, e o que o seu futuro empregador também pedirá, é para que você se apresente de acordo com os padrões que o concorrido mercado de trabalho está exigindo.

Estou exagerando? Veremos…


Newslatter
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com