Como transformar Grupos de Pessoas em Equipes de Trabalho


equipes-de-trabalho

Um conjunto de pessoas é apenas isso, um coletivo humano.

Gostamos de dizer que temos equipes, mas, para que isso seja verdade, esse conjunto de pessoas deve ter algumas características próprias, senão não passará de um grupo. E é por isso que administradores devem ter a competência necessária para transformar grupos em equipes de trabalho verdade.

Para facilitar o entendimento dessa lição, peço para que nesse momento você visualize os torcedores em um estádio de futebol.

Todos têm o mesmo objetivo: assistir ao jogo, torcer pelo seu time. Mas cada pessoa está assistindo ao jogo de forma individualizada, ainda que possa haver comunicação entre elas e a energia coletiva possa ser sentida por todos.

É claro que é bom assistir a um jogo no meio da torcida, fica mais divertido. Mas, repare, cada torcedor está lá por conta própria, ainda que tenha ido com amigos. Os torcedores de grupo comemoram juntos, sofrem juntos, se abraçam, mas, mesmo assim, são autônomos, poderiam ter ido ao estádio sozinhos

Agora, compare um grupo de torcedores com o time que está em campo. O time, por definição, é um conjunto de pessoas que dependem diretamente uma das outras. Não poderiam jogar sozinhas. Uma torcida é um grupo, mas em campo está uma equipe, o que é muito diferente.

As equipes de trabalho também são um conjunto de pessoas, só que com algumas características bem específicas. Vamos a elas:

O objetivo é comum e compartilhado

Todos os membros da equipe de trabalho querem chegar ao mesmo lugar, e têm a clara consciência de que só há duas possibilidades: ou todos chegarão juntos, ou ninguém chegará.

As habilidades são complementares

Assim como não há uma equipe de futebol apenas com atacantes ou com zagueiros e uma cirurgia não é feita só por cirurgiões ou anestesistas, em quaisquer equipes de trabalho, um membro complementa o outro

Não só o objetivo precisa ser em comum

Há perfeita sintonia entre os componentes da equipe no que diz respeito ao objetivo, mas também no que se referem às crenças, aos valores, ao jeito de ser daquela equipe. Senão não há coesão. As equipes de trabalho são reconhecidas como entidades únicas, e cada membro, mesmo isolado, é identificado como seu representante.

Existe sinergia entre os membros

Fundamental. Sinergia é um conceito empregado da ciência, e explica que o resultado de uma reação química não é a simples soma dos componentes. É muito mais. Você não consegue beber oxigênio e hidrogênio. Mas se juntar os dois na proporção certa, terá água para saciar a sede. Da mesma forma, o poder de realização de uma equipe é muito superior à simples soma da capacidade de seus componentes.

A confiança está presente

Sem confiança não existe união. A união é a grande responsável pela força que o grupo tem, e o cimento que forma essa união é a confiança. Confiar deriva do latim confidere – ter fidelidade mútua, bilateral. Até porque não se é fiel a alguém de quem não se tem a fidelidade. Tendemos a confiar nas pessoas que confiam em nós, pois assim se forma um vínculo que sustenta a relação.

Você já viu um jogador de futebol fazer um passe de calcanhar sem olhar para o companheiro de equipe? Isso não é irresponsabilidade. É confiança. Ele sabe que o companheiro está em seu lugar e fará sua parte. A confiança libera as pessoas a darem o melhor de si.

Transformando grupos em equipes de trabalho

Um conjunto de pessoas não é, necessariamente, uma equipe ou um time. Pode ser apenas um grupo. Um grupo transforma-se em uma equipe, ou um time, quando o sentimento de um por todos e todos por um fica claro e é absorvido por todos os membros, que praticam a união e a confiança. Se prevalecer o interesse individual, nada feito.

É isso. Se faltar uma dessas características, cuidado, provavelmente você não tem uma equipe. Tem um grupo. Ou uma turma, um bando, uma multidão, um flash mob. E, nesse caso, pode até ser divertido, mas não vai dar para fazer conquistas importantes.


Newslatter
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com