O Princípio de Pareto e a sua importância para a Administração


pareto-80-20

Poucos conceitos da Administração fazem tanto sucesso quanto o que foi criado por Vilfredo Pareto, um sociólogo e economista do século XIX. Pareto era muito interessado no tema da propriedade de terras e da distribuição social da riqueza de maneira que, depois de coletar e analisar um grande volume de dados, ele acabou encontrando um curioso Padrão:

Mais de 80% da terra da Itália pertencia a menos de 20% da população.

A economia italiana não era distribuída uniformemente e não seguia a “curva em forma de sino” como muitas pessoas presumiam: a riqueza era altamente concentrada em um grupo relativamente pequeno de indivíduos.

À medida que estudava outras áreas da vida, Pareto encontrou repetidamente o mesmo Padrão: no quintal de sua casa, por exemplo, 20% dos pés de ervilha produziam 80% das ervilhas. O que estava acontecendo?

Em qualquer Sistema complexo, como uma empresa, uma minoria das entradas produz a maioria dos resultados. Esse Padrão de não linearidade persistente atualmente é chamado de Princípio de Pareto, ou a Regra dos 80-20.

Uma vez que entender esse Padrão, você o encontrará em muitas áreas da vida:

Em muitas empresas, menos de 20% dos clientes respondem por mais de 80% da receita anual.

Menos de 20% dos empregados de uma empresa normalmente realizam 80% ou mais do trabalho altamente valioso.

Você usa menos de 20% das roupas do seu guarda-roupas mais de 80% das vezes.

Você passa mais de 80% do tempo se comunicando com menos de 20% dos seus contatos pessoais.

A não linearidade do Princípio de Pareto muitas vezes pode ser extrema. Por exemplo, menos de 3% da população do planeta possui mais de 97% da riqueza total do mundo. Com o tempo, o poder político e o monopólio empresarial, também tende a se concentrar nas mãos de algumas poucas pessoas, o que resulta em um grupo muito pequeno de indivíduos tomando decisões que afetam diretamente a vida de centenas de milhões de pessoas.

Quer mais exemplos dessa disparidade?

Muito menos que 1% dos filmes já produzidos se tornam sucesso de bilheteria e menos de 0,1% dos livros já escritos se tornam best-sellers.

Aplicada ao universo da Administração, o Princípio de Pareto deixa a seguinte lição aos gestores:

Para melhorar os resultados daquilo que você está analisando, concentre-se nas entradas críticas que produzem a maior parte dos resultados desejados.

Em Trabalhe 4 horas por semana, Tim Ferriss utilizou o conceito 80-20 para identificar seus melhores clientes. Dos 120 clientes que Ferriss atendia, cinco respondiam por 95% da receita. Ao se concentrar nos melhores atacadistas e deixar o resto no “piloto automático”, Ferriss dobrou sua receita mensal e reduziu seu tempo no trabalho de 80 horas para 15 horas semanais.

Em outra analise, Ferriss percebeu que dois clientes em particular eram responsáveis pela maior parte de sua frustração e incêndios a serem apagados. “Demitir” esses clientes sugadores de energia, apesar de representarem fontes de um significativo volume de negócios, lhe poupou tempo e energia.

Em consequência, ele conseguiu garantir a distribuição com três clientes adicionais de alto volume que impulsionaram os resultados finais sem dores de cabeça constantes.

Levando para o lado pessoal, podemos concluir o seguinte: se você passar a maior parte do seu tempo em reuniões improdutivas, por exemplo, estará desperdiçando um tempo que poderia ser utilizado em tarefas realmente importantes. O mesmo se aplica a despesas não cruciais: elas representam dinheiro que poderia estar sendo utilizado para obter benefícios muito maiores.

Conclusão: encontre as entradas que produzem os melhores resultados desejados e concentre a maior parte do seu tempo e energia neles. Seja implacável na eliminação do resto.


Newslatter
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com