Pelo fim do “achismo” no Empreendedorismo


como-empreender-com-umescritorio-virtual-696x378

Essa semana eu mais uma vez pude comprovar algumas premissas que as teorias da gestão enxuta e do empreendedorismo moderno sempre deixaram bem claras:

  1.  Mais importante do que o dinheiro, as primeiras versões do seu produto devem ter o propósito de validar as premissas da sua ideia.
  2. Antes de atingir a maior parcela de consumidores que compõem o seu mercado, o seu produto deverá mirar um micro nicho. Serão essas pessoas que espalharão a sua ideia para os demais, caso aquilo que você ofereça seja algo de valor, é claro.

Ou seja, ao executar o que você a tanto custo planejou, muito cuidado para não criar expectativas em obter excelentes resultados financeiros no curto prazo, pois será perfeitamente normal caso isso não aconteça.

Por sinal, hoje esse ensinamento é tão valioso, que uma frase dita pelo fundador do Linkedin, Reid Hoffman, é praticamente certa em qualquer treinamento de novos empreendedores. Em suas palavras:

“Se você não se sente envergonhado da primeira versão do seu produto, você lançou ele tarde demais”.

(Antes de prosseguir com o texto, eu sugiro que você tome nota dessa frase, pois se você pensa em se envolver de alguma forma com o lançamento de algum produto, com certeza ela lhe será útil em algum momento).

Dado o contexto da teoria, agora vamos a minha aplicação prática.

Como tudo começou

Há cerca de dois anos, eu identifiquei em minha cidade algo que naquele momento me parecia ser uma boa oportunidade de negócio.

Essa lâmpada acendeu devido a minha profissão de professor, pois além de ter a necessidade de ouvir várias apresentações de seminários dos meus alunos, eu também frequentava muitos congressos e palestras. Ou seja, foi justamente essa vivência que me proporcionou um bom panorama de um serviço que eu viria a desenvolver anos mais tarde.

Voltando ao início, uma coisa sempre me incomodou ao ter que assistir tais apresentações: a falta de preparo das pessoas quando o assunto é falar em público.

E olha que quando eu digo pessoas, não estou me referindo apenas aos alunos, muito pelo contrário, profissionais já formados, como os próprios professores, também se mostravam despreparados para exercer suas atividades, pois apesar de trabalharem na área, muitos jamais fizeram um curso de oratória, algo que eu considero como uma obrigação.

E olha que desse problema, a falta de preparo, eu entendo bem, já que enquanto aluno da graduação, eu pude sentir na pele como é ruim sair com essa desvantagem perante os demais.

Naquela época, não foram poucas as vezes em que vi um colega que mesmo não fazendo quase nada do trabalho, acabava recebendo a maioria dos elogios pelo simples fato de ter se apresentado melhor do que o restante do grupo.

Quer você ache justo ou não, e na época eu não achava, para o público que está assistindo o julgamento é que aquele que melhor apresentou provavelmente foi o que mais fez, o que convenhamos, quase nunca é verdade.

Já para os profissionais que estão no mercado, a consequência pode ser ainda mais grave, visto que a falta de habilidade para expor suas ideias pode acarretar em um péssimo pré-julgamento do seu cliente.

Pois bem, sabendo dessa importância que um curso de oratória proporcionaria em minha carreira, foi ainda naquela época, durante a faculdade, que eu resolvi fazer três cursos na área.

E foi juntando essa teoria que adquiri com os cursos, e mais a experiência prática de ter ministrado e assistido inúmeras palestras e aulas, que eu resolvi criar o meu próprio Curso de Oratória.

Hora da Action

Dado a concepção que resultou no posterior planejamento da ideia, era chegado a hora de colocar o produto no mercado para testes – Aqui está o pulo do gato.

Durante as três primeiras turmas, eu fiz todos os testes que vocês possam imaginar.

Primeiro eu testei o preço e a quantidade de alunos por turma: coloquei um preço bem baixo e compensei com um grande número de alunos, depois aumentei o preço e diminui o número de alunos, depois aumentei ainda mais o preço e dessa vez resolvi limitar o número máximo de alunos.

Depois eu testei a carga horária do curso: primeiro com duração de 6 horas, depois de 8 horas, até que finalmente consegui encontrar o modelo ideal: um máximo de 12 alunos e o número de 16 horas.

Ah, nesse tempo eu também testei a quantidade de exercícios práticos que o curso deveria ter, e também consegui chegar ao número ideal.

E o resultado? Será que deu bom?

No curto prazo, financeiramente, nem tanto. Mas isso são águas passadas.

O que importa é que na semana que vem a sétima turma do meu Curso de Oratória se formará, turma essa que esgotou as vagas 2 semanas antes de finalizarmos as inscrições, ou melhor, que teve lista de espera.

E detalhe: sem precisar investir absolutamente nada em publicidade.

E por que eu resolvi te contar tudo isso?

Pelo fato de estar publicamente envolvido com a disseminação de conteúdo sobre Gestão de Empresas, com muita frequência costumo ver pessoas desistindo de suas ideias por não alcançarem os resultados que haviam previsto nas primeiras semanas de lançamento do seu produto.

Elas desistem antes de dar tempo ao tempo.

A lição que eu gostaria que você extraísse desse texto é que se você tem a intenção de lançar algum novo projeto no mercado, é importante que dentro do seu planejamento inicial você já se prepare psicologicamente, financeiramente e estrategicamente para que as primeiras versões do seu produto sejam concebidas para dois objetivos principais:

  1. Testar as suas hipóteses
  2. Reunir um bom material de marketing.

O que estou querendo dizer é que se você começar pensando exclusivamente no dinheiro, a chance de você se frustrar logo de cara será enorme.

Repare bem e veja se não é exatamente isso que todos os grandes players do mercado estão fazendo atualmente.

É por esse motivo que as primeiras etapas são as mais difíceis. É nela que você terá que adequar suas estratégias de precificação e promoção por um motivo até que óbvio: se o seu produto ainda não está pronto, o valor que ele poderia alcançar ao longo do tempo ainda não foi criado, e por esse motivo talvez não seja a hora de você cobrar o preço que você sabe que ele vale.

Você perceberá que com o passar do tempo, suas hipóteses começarão a se confirmar, ou não. Nessa etapa, mais importante do que o dinheiro, é o aprendizado.

Essa será a hora de você colher depoimentos dos seus clientes confirmando a qualidade do seu produto, e também de tirar fotos e gravar vídeos das pessoas comprovando o resultado que obtiveram após utilizá-lo.

Percebam que tudo o que eu falei até agora não se trata de achismos. Tudo isso funciona através de processos muito bem definidos.

Esse método é garantia de resultados?

É claro que não.

Veja, NENHUMA técnica, método, fórmula, ou qualquer que seja o nome que você queira dar, poderá te garantir resultados no Empreendedorismo. Isso simplesmente não existe.

O que esse método faz é diminuir as suas chances de fracasso.

Entretanto, para você começar bem, é sempre necessário ter essa premissa em mente: toda e qualquer ideia, seja ela inovadora ou não, está sujeita a fracassar.


Newslatter
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com