Porque o Coaching tornou-se tão popular entre os gestores?


coaching puzzle

Um fato tem me chamado muito atenção nos últimos tempos. Comecei a reparar que mais da metade dos palestrantes brasileiros de hoje que falam sobre gestão, possuem uma certificação em Coaching em seu curriculum. De repente, parece que tornou-se essencial para eles serem apresentados como “profissional com Certificação em Coaching”. 

Nada contra, muito pelo contrário, o aprimoramento profissional é sempre bem vindo em qualquer profissão, porém, a minha crítica se concentra na banalização de uma certificação que, ao que tudo indica, deveria ser muito mais criteriosa.

Todos nós sabemos que orientar profissionais hoje é uma tarefa dificílima, algo que exige muito conhecimento e muita dedicação, de ambos os lados. Dessa forma, no meu entender, dificilmente se aprenderia um trabalho de tamanha complexidade em um curso com tão poucas horas de duração.

Parando para refletir, eu cheguei a dois principais motivos do porque, na minha visão, a onda de Coaching vem contaminando os gestores brasileiros:

1 – Está extremamente fácil conseguir uma certificação de Coaching

Basta fazer uma simples pesquisa no Google para se espantar com inúmeros resultados (298.000). O curioso mesmo são as terminologias utilizadas para aumentar o leque de opções. Hoje, você poderá escolher entre ser um Executive Coaching, um Master Coaching, um Líder Coaching, ou, se preferir, um Self Coaching.

A propósito, ao fazer a pesquisa, não pude deixar de reparar na terrível falta de organização dos sites que oferecem tal serviço. Em alguns deles, eu sequer consegui achar o preço ou a duração dos cursos, existe apenas uma emaranhado de informações e de fotos de pessoas bem vestidas vomitando conteúdo em cima dos usuários, prática que, infelizmente, é muito comum em empresas de prestação de serviços.

2 – A existência de uma excessiva leva de profissionais perdidos no mercado de trabalho

Esse problema vem desde o começo da formação profissional, lá na Universidade, quando o aluno se forma sem nenhum planejamento de carreira, e como tal, não poderia sair dela de outra forma. Ao cair na dura realidade do mercado de trabalho, o formando encontra-se sem um caminho a seguir, não sabe em qual área irá se especializar, não sabe qual mercado irá atender, enfim…

O tempo vai passando, os resultados não vão aparecendo e o desespero vai surgindo. Como resultado, acredita-se que os profissionais desesperados são mais suscetíveis a seguirem o caminho do “investimento do momento” (algo parecido aconteceu com a febre do Marketing Multinível). Ao perceberem a leva de “consultores” que estão se dando bem com o serviço de Coaching, eles não pensam duas vezes e logo se aventuram em um mercado do qual não estão devidamente preparados.

Vejam que, nesse caso, PROCURAR um serviço de Coaching seria a solução ideal para esses profissionais, porém, o que eu venho presenciando é que eles estão se QUALIFICANDO como Coaching, passando a oferecer um serviço que eles próprios deveriam receber!

É claro que, como em toda banalização, existem empresas sérias, e empresas não tão sérias assim. Talvez, quem mais vem se prejudicando com essa história, são os profissionais capacitados, que há anos exerciam a profissão de aconselhamento e que enxergaram na certificação uma forma de destacar ainda mais sua atividade.

Diante deste cenário eu me pergunto, o que será que o futuro nos reserva?


Newslatter

Comentários

  1. Excelente este post.

    De fato, estamos assistindo um “boom” no mercado de coaching. Como coach, acredito que apenas os profissionais que se dedicarem à criação de um negócio bem estruturado e escalável, irão seguir neste mercado cada vez mais inchado.

LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com