[Resenha] Eles fizeram tudo errado


eles-fizeram-tudo-erradoQuem nunca errou que atire a primeira pedra!

Todo mundo já errou ou vai errar alguma vez na vida, e com as grandes empresas nao é diferente! Talvez você desconheça as histórias listadas abaixo, retirei elas do livro Eles fizeram tudo errado de Adam Horowitz, só peço que não utilize-as como desculpa para quando sua empresa errar e você dizer algo do tipo “a isso não foi nada demais, se você acha esse erro grande é porque você nao conhece a história da….”

Errando o Público-Alvo

Por meio de pesquisas de mercado, a empresa RJ Reynolds achou que havia descoberto uma grande oportunidade que prometia abalar o mercado acirrado dos cigarros. Sob o nome de Premier, a empresa anunciou criar um cigarro que produzisse menos fumaça com o intuito de baixar a poeira em relação a crescente onda de preocupação sobre os males do cigarro aos fumantes.

Embora o cigarro possuísse as mesmas toxinas de um cigarro normal, foi promovido pela empresa como um cigarro “mais limpo”, além de não incomodar os chamados fumantes passivos, ou seja, você agora poderia fumar o seu cigarro tranquilamente sem as pessoas ao seu lado reclamarem.

Os custos de desenvolvimento e promoção do cigarro somaram o total de 68 milhões de dólares.

O produto de ouro da RJ Reynolds se provou um verdadeiro fracasso quando os verdadeiros consumidores provaram o cigarro e acharam o seu gosto insuportável. Os cigarros de fato agradavam os fumantes passivos, mas a empresa parece ter esquecido o pequeno detalhe de quem paga e consome os cigarros não são eles!

Resultado: somente 5% do público-alvo (os fumantes) aprovaram o produto e após 4 meses após seu lançamento, a RJ Reynolds interrompeu a produção.

Cadê a minha Coca-Cola?

Em maio de 1990 a Coca-Cola enfrentou problemas com a sua nova forma de promover o seu produto. Intitulada de Lata Mágica (MagiCan), a promoção consistia em colocar algumas notas de diferentes valores em algumas latas de refrigerante, a lógica era simples, abrindo a lata certa, o dinheiro era dispensado através de uma mola. Para disfarçar as latas premiadas, a Coca as encheu com água não potável, que em tese, não poderia ser consumida.

Refrigerante com um líquido que não pode ser consumido? Eu me pergunto, alguma vez por acaso você olhou para dentro da sua lata de refrigerante para saber se o que tinha lá dentro era realmente o seu refrigerante? Se você respondeu que não então vai entender perfeitamente o que aconteceu…

Durante a primeira semana da promoção, um garoto de onze anos abriu a lata e foi logo bebendo sua querida Coca Cola, mas para a sua surpresa, dessa vez a lata estava cheia de água não potável. No mesmo período uma aeromoça precisou chamar o esquadrão anti-bombas por “estranhar” a sua latinha de Coca-Cola.

Apesar dos esforços da empresa em explicar para a população sobre como utilizar a promoção, os incidentes foram tantos que a empresa resolveu cancelar a promoção.

Cuidado com quem você convida para visitar sua empresa

A história se passa no Centro de Pesquisas da Xerox, o ano é 1979 e o personagem principal da história é Steve Jobs.

Jobs, então com 24 anos, resolveu dar uma visitada no complexo da Xerox para conhecer algumas novidades da empresa. Espantado com tantas novidades tecnólogicas, Jobs fez um pedido para que os administradores do Centro deixasse que ele levasse alguns técnicos da Apple até o Centro para estudá-lo. O funcionário do Centro alertou o alto escalão da Xerox que exibir suas tecnologias era arriscar um bem incrível, mas seus superiores lhe responderam:

 

Durante uma demonstração de uma hora de duração para a equipe da Apple, a Xerox transferiu com sucesso sua tecnologia para as mentes férteis de Jobs e sua equipe.

Sobre essa passagem, Jobs comenta que a Xeroxpoderia ter sido dona de toda a indústria de computação…

Se a empresa mandar você se motivar, então obedeça!

Em 2001, um grupo de funcionários do Burguer King foram todos enviados para um retiro corporativo com o objetivo de exercitar o trabalho em equipe para o departamento de marketing. O ponto alto do treinamento consistia em caminhar sobre o fogo, isso mesmo, cada um dos 100 funcionários presentes deveria andar descalço sobre 2,5 metros de carvão quente enquanto seus colegas os incentivavam gritando os seus nomes.

O único trabalho em equipe que ocorreu aquele dia foi o de funcionários socorrerem outros funcionários vítimas de queimaduras de primeiro e segundo grau. Um dos funcionários acabou hospitalizado.

Infelizmente esse incidente não serviu de aprendizado para as outras empresas, um ano mais tarde, a empresa KFC resolveu copiar a técnica de motivação do Burguer King, mas com os resultados um pouco diferentes. Dessa vez 20 funcionários foram parar no hospital vítimas de queimaduras nos pés.

Esses foram alguns poucos exemplos para você descobrir que as grandes empresas também erram.

Da próxima vez que você errar, veja pelo lado positivo, pelo menos o seu erro não custou milhões de dólares


Newslatter
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com