Semana Global do Empreendedorismo – Presidente Prudente 2014


Mayne Santos, Natália Ferro, Diego Andreasi, Rafael e Natália Rosan

Mayne Santos, Natália Ferro, Diego Andreasi, Rafael e Natália Rosan

Pelo segundo ano consecutivo eu tive a felicidade de participar da organização de mais um ciclo de palestras em Presidente Prudente em comemoração a Semana Global do Empreendedorismo, evento de renome mundial e que no Brasil tem sua organização centralizada pelo Instituto Endeavor.

E nesse ano tivemos uma novidade, a participação feminina no elenco de palestrantes. Minha amiga Natália Ferro e sua sócia Mayne Santos abordaram sobre suas dificuldades e acertos na gestão de uma Assessoria de Imprensa, isso levando em conta que e empresa está instalada em uma cidade do interior de São Paulo, onde os empresários planejam o seu marketing com a cabeça de quem vive em uma cidade do interior de São Paulo.

Achei muito interessante a parte na qual elas falaram justamente sobre essa dificuldade que é conseguir convencer o dono de uma empresa sobre os benefícios que uma assessoria de imprensa pode trazer para o seu negócio. Para superar essa barreira, elas colecionam uma imensidade de reportagens já feitas por elas, às chamadas provas sociais, que como já abordei em um antigo post, servem como um fortíssimo elemento de persuasão comercial.

Já o meu amigo Rafael Rosan contou a história de como a sua empresa saiu do fundo do quintal da sua casa para se tornar uma das três mais importantes organizações no segmento de roupas e acessórios para balé. Particularmente, o que eu mais gostei na apresentação dele foi à parte na qual ele abordou sobre a dificuldade de fazer com que os funcionários em geral pensem da mesma forma que o dono da empresa, isso se tratando de colaboradores operacionais.

Refletindo sobre a fala dele, cheguei a seguinte conclusão: enquanto o dono está pensando em dobrar o faturamento do seu negócio no ano seguinte, o funcionário está pensando em continuar fazendo as mesmas coisas do ano anterior, incluindo bater o seu cartão às 8:05 da manhã e às 17:55 da tarde. Ah, e não pense que não existem políticas de cargos e salários, ele ainda acabou contando um caso interessantíssimo de um funcionário que estava a poucas peças de bater sua meta mensal e ganhar uma recompensa por isso, no entanto, preferiu arrumar suas coisas 15 minutos antes do horário e partir para casa…

É claro que ao final das apresentações eu não poderia deixar de fazer algumas perguntinhas hehehe. Como ambos passaram pela experiência de demitir funcionários, eu quis saber qual foi o sentimento de ter que tomar essa difícil decisão. Ambos concordaram que dentre todas as decisões que já precisaram adotar, essa sem dúvidas é uma das mais difíceis. Porém, como o Rafael salientou, quem demite o funcionário não é o dono, e sim ele mesmo, salvo em casos de crises econômicas, como foi o período da Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

Abaixo eu deixo a foto de recordação do evento. E ano que vem tem mais!


Newslatter
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com