SXSW – Empolgação americana x Comodismo brasileiro


SXSW-2014

Nesses últimos dias, tenho acompanhado de perto as postagens da BizRevolution sobre o festival #SXSW que está acontecendo lá nos Estados Unidos. Para quem não conhece, o SXSW é considerado por muitos o melhor evento sobre internet, criatividade e empreendedorismo do mundo.

São 5 dias de palestras, eventos, festas e exposições de produtos e novas tecnologias que tomam conta de toda a cidade de Austin. Para se ter uma ideia, são mais de 800 palestras em 14 locais diferentes! O evento já tem 27 anos de existência e foi nele que gigantes como o Twitter e o Foursquare foram descobertos.

Eu não sei vocês, mas eu sinto uma enorme adrenalina quando eu leio esse tipo de texto. O Ricardo, autor das postagens, consegue de uma forma única dar vida as palavras.

Os contrastes que ele consegue fazer entre a cultura americana e a cultura brasileira são sensacionais. Dessa forma, caso você encontre algum palavrão em seus textos, não se assuste, é a revolta sendo colocada para fora da melhor forma possível.

SXSW – Empolgação americana x Comodismo brasileiro

Enquanto aqui no Brasil os eventos só ganham presença massiva dos estudantes quando existe algum tipo de festa envolvida (vide o ENEAD desse ano, no qual as palestras tornaram-se meramente secundárias), lá nos EUA o grande chamativo é o conteúdo envolvido. Será que um dia nossos alunos irão criar vergonha na cara e começar a prestigiar algo de valor?

Infelizmente, aqui tudo ainda é regido na base do comodismo. Enquanto eu estava escrevendo esse texto, não pude deixar de lembrar das minhas aulas de empreendedorismo, ainda na faculdade.

Quando o professor sugeriu para que a sala escolhesse um segmento de mercado para que fosse criado um plano de negócios, choveram sugestões do tipo “pizzaria, sorveteria, padaria” e um monte de coisas terminadas em ia.

E por que ninguém se dispõe a criar algo inovador, algo revolucionário, algo que realmente resolva os problemas das pessoas? Porque dá trabalho! E nenhum aluno quer ter ainda mais trabalho além dos que já existem em seu serviço diário.

É dessa forma que os alunos fingem que estão aprendendo, o professor finge que está ensinando, e a vida segue!

Porém, o pior de tudo, o que me mais me causa  revolta, é que no fim da Faculdade esses mesmos alunos irão reclamar que não aprenderam nada de novo, que o curso de Administração não atendeu suas expectativas! PQP!

Os caras têm a chance de fazer algo que valha a pena, jogam literalmente na lata do lixo, e depois vem reclamar do curso! É o velho problema de querer jogar a sua incompetência em cima dos outros.

Esse processo tem que mudar! Se a iniciativa irá partir dos alunos, dos professores, da coordenação do curso, do MEC, do Conselho de Administração, de mim ou de você, sinceramente, eu não sei, mas que a coisa toda precisa mudar, isso precisa.

O comodismo nunca irá levar ninguém a lugar algum! Temos que ir em busca das novidades, e isso exige trabalho! Muito trabalho!

E não se importe se te chamarem de NERD, de DOIDO, de MALA, ou do quer que seja, o importante mesmo é que você esteja ciente de que está fazendo a sua parte!

E vamos que vamos!


Newslatter

Comentários

  1. Débora Guimarães diz:

    Diego, novamente um excelente artigo!! Que diferença de realidades !! É de revoltar mesmo, de xingar e colocar para fora tudo que já nos incomoda há muito tempo! Compartilho de sua opinião !!! Mudanças em vários sistemas, principalmente no da educação, são emergenciais!! Devemos deixar esse comodismo e partir para o trabalho!! Desejo muito que mais pessoas acordem dessa inércia e façam a sua parte em prol de um país mais ativo, comprometido, competitivo, criativo e inovador!!

LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com