The Big Lunch: A iniciativa gringa para estreitar relacionamentos


 

the-big-lunch

Hoje eu começo o texto com uma pergunta bem simples:

Sabe aquela pessoa que mora ao lado da sua casa há vários e vários anos? Pois bem, a pergunta que eu quero fazer é: Você acha que realmente conhece o seu vizinho?  Quando eu digo conhecer, não estou me referindo saber apenas o seu nome, e sim sua profissão, família, hábitos, time de futebol, etc…

Se você respondeu negativamente a essa pergunta, fique tranquilo, você não está sozinho. Atualmente, vivemos em um mundo onde todo mundo desconfia de todo mundo, onde todos vivem em suas próprias fortalezas e onde um quer passar a perna no outro para levar vantagem em algum quesito, como inventar fofocas no trabalho para conseguir alguma promoção.

Veja, faz mais de 3 anos que eu moro na mesma casa e não conheço os meus vizinhos hehehe, e aposto que tem muita gente que está nessa mesma situação!

Sabendo dessas dificuldades básicas de relacionamento, um grupo de ingleses resolveu criar um projeto chamado “The Big Lunch (O Grande Almoço)“.

Como funciona o The Big Lunch

O The Big Lunch é um evento que acontece todos os anos na Inglaterra. Nele, os vizinhos de um determinado bairro se reúnem em uma única mesa para que todos almocem juntos em um dia de domingo. Cada um leva um pouco de comida e bebida e a conversa está garantida.

O Big Lunch é uma importante iniciativa, mas ele só preenche a lacuna que se refere à vizinhança, agora, e quanto aquelas pessoas que frequentam suas salas comerciais há anos e não conhecem a pessoa que está trabalhando ao seu lado? Ou os alunos que passaram 4 anos estudando todos os dias na mesma sala de aula e que não fazem a mínima ideia dos nomes das pessoas que se sentaram a poucos metros de distância?

Acredite em mim, de pouco adiantará você sair adicionando pessoas no seu Facebook, como em um álbum de figurinhas. O verdadeiro relacionamento exige contato pessoal e, se possível, sem um celular no meio para não atrapalhar tudo.

O verdadeiro relacionamento, aquele sincero, exige investimentos constantes, porém, dificilmente conseguimos presenciar alguém disposto a tomar a iniciativa por ele, é mais fácil colocar a culpa no outro e dizer “se ele não me deu boa noite, eu também não vou dar”.

Por fim, o relacionamento também exige reciprocidade, pois de pouco adiantará só um lado se esforçar na relação, os dois precisam se conscientizar de que os “depósitos” precisam acontecer de forma conjunta.

Espero poder ver algo parecido algum dia no Brasil…


Newslatter
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com